GUESC_3.jpg

Guesc é uma artista e experimentadora nas artes visuais tendo como base a fotografia, entre o documental e o performativo, digital e analógico. Seu trabalho tem a vida urbana como principal sujeito, passando por temas como urbanismo, cultura noturna e saúde mental, produzindo imagens influenciadas pelo expressionismo, impressionismo e outras realidades. 

Guesc - Artista Multimídia

 

INSTAGRAM

  • Instagram - Black Circle

Formada em Arquitetura e Urbanismo pela UFRN (2016), realizou projetos nas artes visuais, como “Olhares em Solidão” (2015), através de edital de Artes Visuais, para expor individualmente na Galeria SESC RN; como assistente de cenografia na obra “Pode ser que seja...”, da Sociedade T, pelo edital Cena Jovem 2015; na formação de identidades visuais a partir de fotografias, clipes e experimentos gráficos de bandas como ARDU, (2018), Fukai (2019/2020); na identidade visual da artista Maria Fxntes, assumindo fotografias e vídeos, capa, direção de arte e shows do álbum Salmoura (2020) junto a outros artistas. 

Suas investigações nas artes visuais levaram à associação a outras obras e artistas, em múltiplas linguagens, seja fazendo registros de espetáculos e performances (Meninas – 2015, Eu só sou eu e não o outro quando eu puder deixar de ser para ser um outro? – 2016, Sismos – 2017), seja compondo a identidade visual de obras, a partir da criação de seus próprios métodos e linguagens (Tratados de Mim Mesma na Infertilidade, 2017; Encontros Vermelhos - 2018; EXIT (2018), onde assume a co-criação e a direção de arte, design gráfico, arte e vídeos de divulgação, e registro de processo criativo; Goldfish (2018), residência artística entre Argentina, Brasil, Cuba e Espanha.

||ESPOSIÇÕES E MOSTRAS

||EDUCAÇÃO

Em 2019, a colaboração com RZK (Cuba) rendeu produções visuais diversas, principalmente na produção audiovisual; assume a direção do Laboratório Cultural Disconexa (2019), dentro do coletivo Disconexa, indo da identidade visual dos eventos, o lugar e sua ambiência, além da produção, registros e experimentos visuais diversos, junto a diversos artistas da casa e convidados.

2020 foi um ano reservado aos projetos pessoais, surgindo colaborações com as bandas potiguares Fukai, Sample Hate e Mardub, e, colhendo frutos em 2021, com as produções audiovisuais como Diretora dos documentais, longa e curta metragem respectivamente,  Arcoda, Clubber! e Terra Arrasada, marcando a criação  da produtora Rua da Palha junto aos parceiros Daniel Oliveira Mosca e Luiza Oest.

Distropia, Mostra Virtual Esquinas do Brasil - Nacional

2021

Por Dentro de Um Tempo Suspenso,

   Festival de Fotografia de Tiradentes - Nacional

2020

Distropia, Rádio Mangas - Natal, RN - Brasil

2019

Olhares em Solidão, Galeria SESC - Natal, RN - Brasil

2015

Arquitetura e Urbanismo,

    Universidade Federal do Rio Grande do Norte - Brasil

2010 - 2016

Arquitectura y Urbanismo,

   Universidad Católica de Murcia - España

2012 - 2013